Muros caiados,bagos pintados!
Longe do mar, perto do Maranhão.!
Além-de-tudo, o nosso vinho!
Anterior
Next

ACERCA DA HERDADE

UMA PROPRIEDADE COM CERCA DE 400 HECTARES NO TOTAL E QUE CONTINUA A CRESCER, COLHEITA-A-COLHEITA.

Desta área, quase 100 hectares são de vinha, plantados por uma família com tradição nos vinhos e apaixonada pelos néctares alentejanos. A sua determinação, aliada ao domínio técnico e trabalho árduo, deram nova vida a uma propriedade esquecida em Avis, no Norte Alentejo. Naquela que era a antiga Quinta de Santa Ana prospera hoje a casa da herdade, a loja, adega e o armazém projetados pelo Arquiteto Vítor M.M. Vaz. Por ali se encontram ainda o olival, os casões agrícolas, as cavalariças, o curral dos borregos e o galinheiro, na companhia dos rafeiros alentejanos da Herdade.
Para quem está de visita, o tempo passa devagar. Mas para quem faz da Herdade parte da sua vida, o tempo voa de estação em estação. Ao longo do ano, as vinhas requerem cuidados especiais. Ora porque é época da poda ou da poda em verde, ora porque é tempo das vindimas e a Herdade nem dorme. Tudo para que dos terroirs se retirem excelentes uvas e da adega saiam vinhos de elevada qualidade e complexidade única..

REGIÃO E HISTÓRIA DE AVIS

UM LOCAL MARCADO PELAS ORDENS MILITARES E RELIGIOSAS DO PASSADO, HOJE REGIDO PELOS AROMAS E SABORES DA TERRA, PELO TURISMO, DESPORTOS AQUÁTICOS, CAÇA E PESCA.

É na sua periferia que se encontra a Herdade Fonte Paredes. Há quem atribua o nome da vila à militar Ordem de S. Bento de Avis, ali instalada no séc. XIII com o objectivo de reforçar o território durante Reconquista Cristã. Mas há também quem evoque documentos que referem a sua existência já na Idade do Ferro e, mais tarde, aquando o domínio do Império Romano. Curiosamente,“Avis” significa “ave” em latim. E elas são incontáveis por estas bandas.
Ainda hoje se encontram traços da presença mourisca e da extinta Ordem que batizou a emblemática das dinastias portuguesas, com o coroado Mestre de Avis. Sobretudo, ao caminhar pelas estreitas ruas da vila e ao contemplar o património edificado. A sua brancura contrasta com os tons dos campos circundantes — ora verdes, ora prazerosamente tórridos — e com o brilho das águas da Barragem do Maranhão.
Do cimo das torres do Castelo ou da varanda da Torre do Mestre, os olhos descansam nesta paisagem, entrecortada pelo voo das aves ou, de quando em vez, pelo motor de um automóvel. É raro. Apesar da riqueza das gentes, do artesanato, da gastronomia e da agricultura, aqui ainda é possível imaginar-se dono de tudo quanto a vista alcança, por minutos, horas ou até o calor convidar a um mergulho, junto ao Clube Náutico.
Apenas a um quilómetro da vila, pode-se praticar vários desportos aquáticos, sendo a canoagem o que mais atrai quem vem de fora. Isto, para além da pesca, caça, equitação e, naturalmente, do enoturismo. 

Acerca da herdade

FAMÍLIA CEREJO

QUATRO GERAÇÕES, QUATRO DÉCADAS DE EXPERIÊNCIA FERMENTADA NO TRABALHO DA VINHA E DO VINHO.

Na realidade, a primeira grande vinha da família data de 1930, obra de Joaquim Monteiro Cerejo, naquela que é hoje a Região de Vinhos de Lisboa. Ao longo de décadas, as propriedades vinícolas dos Cerejo foram crescendo e, em 1978, a família funda a sua primeira empresa: a J.S. Cerejo, Lda. — com produção, engarrafamento e marca própria.
Mais recentemente, os seus filhos joaquim e Rui Cerejo decidiram investir numa das mais prestigiadas regiões vinícolas de Portugal — a Região de Vinhos do Alentejo — e assim nasce a empresa Herdade Fonte Paredes em 1999.
Pode dizer-se, orgulhosamente, que toda a família Cerejo se mantém ligada ao negócio dos vinhos. Está-lhe nos genes. São responsáveis pelas mais diversas funções, com o apoio de uma equipa jovem e especializada.

ECOSSISTEMA

FAUNA E FLORA EM HARMONIA CRIAM UMA ESPÉCIE DE SANTUÁRIO PARA A PRODUÇÃO DO NOSSO VINHO.

As vinhas estendem-se ao longo de cerca de uma centena de hectares e, no entanto, não se perdem de vista os sobreiros, as azinheiras e oliveiras. No Alto Alentejo, o clima interior mediterrâneo é amenizado pela altitude, o que favorece a verdura das paisagens face ao Baixo Alentejo. Sorte a dos coelhos, lebres, javalis e veados que por ali habitam. Por sua vez, também as raposas se dão por satisfeitas. Atentas ao que se passa em terra, as aves conseguem tirar alimento destas terras. Algumas permanecem todo ano; outras fazem deste privilegiado cenário a sua morada sazonal, na primavera e verão. Na Barragem, onde várias espécies de peixe são abundantes, todos vão beber e refrescar-se. Até as vinhas da Herdade Fonte Paredes.

Confirmação de idade

Tem idade legal para o consumo de bebidas alcoólicas ?